Ana Hickmann recorre à terapia: “barulho da porta ainda me assusta”

- Alexandre Pingo - - 2 de junho de 2016 | - 10:19 - - Home » Entretenimento» Famosos - - Sem Comentários

Como não poderia deixar de ser, o atentado sofrido há duas semanas ainda mexe com Ana Hickmann.

A apresentadora da Record precisou recorrer à terapia pela primeira vez na vida. “Nunca fiz terapia, mas pedi ajuda a um psicólogo amigo. Não só para mim, mas para toda a família. Está sendo difícil para todos nós. Ele diz que é para eu falar a respeito, por para fora, chorar se tiver vontade… Até essa sensação de medo passar. O barulho da porta batendo, por exemplo, ainda me assusta bastante”, relatou ela em entrevista à revista Caras.

Ana ainda revelou que precisou tomar tranquilizantes por três dias após o ocorrido. “[Tomei] para dormir. Quando deito no travesseiro é que as lembranças voltam”, disse, e completou: “Por enquanto nada de antidepressivos. Às 6 da manhã quando meu filho chama ‘mamãe’, me dá coragem de levantar, começar o dia e tocar a vida. Neste momento, tenho certeza que não quero ficar na cama. Meu melhor remédio está sendo a oração e a família”.

Ainda na entrevista, a apresentadora também disse que retomou sua rotina depois de uma semana do caso. “Em Itu [onde mora], fui pessoalmente comprar algumas coisas. Assim que desci do carro, os primeiros minutos foram difíceis. Comecei a transpirar e fiquei com a boca seca. Mas foi só a primeira pessoa se aproximar com uma palavra de carinho que tudo passou. Se antes me pediam uma selfie, agora pedem para me dar um abraço”, comentou.

Por fim, garantiu que não pretende mudar sua forma de agir nas redes sociais, mesmo tendo tudo acontecido a partir disso: “Eu não vou evitar as pessoas. Nunca fiz isso e não vai ser agora. Além de eventos profissionais, vou continuar indo ao supermercado. Quero voltar à minha vida normal, ser a Ana que sempre fui”, avisa: “Não quero ficar marcada por essa história. Tive uma segunda chance e quero que esse drama fique pequeno diante de tantas coisas boas que vou realizar”.

O caso

Fã obsessivo de Ana Hickmann, Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos, invadiu no dia 21 de maio o quarto do hotel em Belo Horizonte (MG) onde estava hospedada com a intenção de matá-la, segundo a Polícia Militar.

Em depoimento, Gustavo Corrêa, cunhado de Ana, contou que a loira chegou a passar mal com a tensão e o rapaz até atirou contra ela, mas errou o alvo. A cunhada e assessora Giovana Oliveira foi atingida e passou por cirurgias no hospital Biocor, em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte. Depois, foi transferida para São Paulo e segue internada no hospital Sírio-Libanês, em recuperação.

Após o tiro, Gustavo conseguiu conter Rodrigo, brigou com ele e acabou o matando com dois tiros na nuca. O rapaz foi enterrado no dia 23 de maio em um cemitério de Juiz de Fora, Minas Gerais.

Já a apresentadora ficou afastada do programa “Hoje em Dia”, foi avaliada por um psiquiatra e demonstrou medo de ficar sozinha.

Depois de uma nova consulta, foi liberada e retornou na última terça-feira (31) ao matinal da Record.

Fonte: Na Telinha

Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: Ana Hickmann recorre à terapia: “barulho da porta ainda me assusta”

Deixe uma resposta