Bebê morre em hospital e família denuncia negligência médica

- Alexandre Pingo - - 26 de dezembro de 2018 | - 10:26 - - Home » Cidades» Nossa Senhora da Glória» Notícias - - Sem Comentários

Uma mulher com seis meses de gestação gestação foi recebida no Hospital Regional Zé Franco, em Nossa Senhora do Socorro (SE). O parto de emergência acabou terminando em tragédia. O bebê, que seria chamado de Levi Rafael morreu cinco minutos depois de ter nascido após sofrer uma parada cardiorrespiratória. Para a família da gestante a morte foi provocada por negligência médica. O obstetra responsável pelo parto negou.

O caso foi registrado na segunda-feira, 24, véspera de Natal e denunciado na manhã desta quarta-feira, 26, durante o Jornal da Fan.

Em entrevista ao radialista Narcizo Machado, o obstetra Luís Eduardo, responsável pela equipe que realizou o parto, disse que os profissionais fizeram tudo o que foi necessário e que a criança nasceu com vida, mas que por ser um bebê prematuro o ideal era que o parto tivesse sido realizado na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, destinada a partos de alto risco.

Ainda segundo ele, foi oferecida uma ambulância de suporte básico, que dispunha apenas de uma aparelho de oxigênio para fazer a remoção da gestante antes do parto, mas não seria possível fazê-la diante da gravidade do caso. “Ela já estava com dilatação total e nesses casos não podemos fazer remoção, mesmo que tivesse uma ambulância de suporte avançando, sem contar na falta de um profissional neonatologista. Correríamos um sério risco da criança morrer no transporte”, explicou.

A falta deste profissional, segundo o obstetra implicaria no impedimento da remoção, mesmo com todo o aparato técnico para que ela fosse feita. “A Secretaria de Estado da Saúde (SES) sabe que há mais de quatro meses não há no Zé Franco na escala da segunda-feira, por exemplo, um neonatologistas. O problema é enfrentado por vários hospitais pelo estado, porque os profissionais se negam a trabalhar diante da disparidade salarial entre os que trabalham na capital e no interior”, pontuou.

O neonatologista participa do parto e avalia a saúde do bebê nos primeiros minutos de vida. O assessor de comunicação da SES, André Carvalho, também participou do Jornal da Fan e informou que o caso será apurado para que sejam atribuídas as devidas responsabilidades.

André confirmou a dificuldade enfrentada pela secretaria para enviar neonatologistas ao município de Nossa Senhora do Socorro (SE), porque para esta localidade não há o pagamento do valor adicional referente a interiorização. “Estamos com edital aberto até o dia 30 deste mês para 89 vagas na área médica, entre elas para neonatologistas e esperamos desta forma eliminar o problema enfrentado atualmente.

Com informações da FanF1

Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: Bebê morre em hospital e família denuncia negligência médica

Deixe uma resposta