“Chegou tarde demais”, diz Ramalho sobre ida de Ribeiro Neto para o Sergipe

- Alexandre Pingo - - 19 de junho de 2017 | - 11:50 - - Home » Esporte - - Sem Comentários

O ano vai acabar mais cedo para o Sergipe. A derrota no último domingo, por 3 a 2, para o América de Natal, na Arena das Dunas, tirou do time qualquer chance de classificação para a próxima fase da Série D do Brasileirão. No próximo sábado, a equipe comandada por Ribeiro Neto entra em campo, contra o Jacobina, pela última rodada da primeira fase, apenas para cumprir tabela.

Mesmo sem chances de avançar na competição, é nítido que o trabalho de Ribeiro Neto à frente do clube fez com que o time, mesmo em um cenário de terra arrasada e com tempo curto para trabalhar, demonstrasse uma certa evolução. O reconhecimento ao que o técnico conseguiu realizar veio através dos jogadores mais experientes do grupo, como o volante Ramalho.

 
Duelo entre Ramalho e Cascata foi intenso durante o jogo (Foto: Canindé Pereira/Divulgação)

Duelo entre Ramalho e Cascata foi intenso durante o jogo (Foto: Canindé Pereira/Divulgação)

 

– Nós costumamos sempre dizer que o Ribeiro Neto veio na hora errada, chegou tarde demais. Com certeza se ele tivesse chegado mais cedo nós poderíamos estar em uma situação bem melhor, até conseguir a classificação. Eu sou suspeito para falar dele. O Ribeiro é um cara muito especial, chama o grupo para si, é um motivador nato, soube extrair o que cada jogador tem de melhor e melhorar o ambiente, orientar melhor o que cada um deveria fazer. É uma pena que, quando ele chegou, a situação já estava complicada, aí foi mais difícil de reverter- opinou Ramalho.

Quando Ribeiro Neto assumiu, o Sergipe vinha de três derrotas nos três primeiros jogos na Série D. O presidente e mais dois diretores renunciaram, os salários estavam atrasados, e mesmo depois de todas as dificuldades procurou incentivar o grupo, mexer com o ânimo dos jogadores. Naquele momento o time precisava mais de um pai do que de um professor, tanto que o próprio técnico admitiu que investiu esforços bem mais na parte motivacional do que na tática. E com uma ou outra mudança no time conseguiu fazer o Gipão evoluir.

A estreia foi um balde de água fria, goleada sofrida para o Murici. Depois disso, vitória em casa diante do mesmo adversário, e uma quebra de jejum de 12 jogos sem triunfar na Série D. No último domingo, na Arena das Dunas, um primeiro tempo apagado diante do América de Natal. O time foi para o intervalo perdendo de 2 a 0. Porém, dominou o jogo no segundo tempo, conseguiu o empate através dos gols de Carlos Alexandre e Netinho. Teve ainda a chance da virada, mas acabou sendo derrotado com o gol de Danilo, 3 a 2 placar final.

– Fizemos um bom jogo. Foi um tempo para cada lado, mas o América acabou conseguindo o gol da vitória e conseguiu a classificação antecipada. Uma pena. Mas é de elogiar a postura que o Sergipe teve no jogo- concluiu Ramalho.

Fonte: GE Sergipe 
Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: “Chegou tarde demais”, diz Ramalho sobre ida de Ribeiro Neto para o Sergipe

Deixe uma resposta