Em dia de homenagens e jogo festivo com craques do passado, Batistão completa 50 anos

- Alexandre Pingo - - 10 de julho de 2019 | - 11:16 - - Home » Esporte - - Sem Comentários

Jogo festivo marca comemoração aos 50 anos de inauguração do Batistão — Foto: Osmar Rios

Cinco décadas após a festa de inauguração com o jogo festivo entre as Seleções do Brasil e de Sergipe, o Estádio Estadual Lourival Batista reuniu personalidades e craques do passado para celebrar 50 anos de histórias. A partida entre os Amigos de Washington ‘Coração Valente” e a Seleção Sergipana, na noite desta terça-feira, terminou no empate por 2 a 2 e encerrou o dia de comemorações ao aniversário da praça esportiva.

Bibi, ex-jogador do Confiança, voltou a balançar a rede do Batistão três anos após pendurar as chuteiras e marcou os dois gols da Seleção Sergipana. Só que Jorge Wagner, ex-São Paulo e Internacional, e Daniel Paulista, ex-Sport e atual técnico do Confiança, deixaram o placar igual.

Pentacampeão mundial com o Brasil em 2002, o ex-jogador e novo coordenador técnico da Seleção Brasileira, Juninho Paulista, foi um dos mais aplaudidos ao pisar no gramado do Batistão. A festa também contou com ídolos do futebol sergipano, como Geraldo, Váldson e Tailson, ex-Confiança, e Denilson, Chicão e Pedro Costa, ex-Sergipe.

Antes de a bola rolar, ex-jogadores que defenderam a Seleção Sergipana na partida de inauguração há 50 anos foram homenageados com a entrega de medalhas por meio da Superintendência Especial de Esportes do Governo do Estado. Edmilson Santos foi um deles. Hoje, aos 70 anos, o sergipano não escondeu a emoção ao relembrar o momento histórico.

– Passou um filme na minha cabeça. Lembro até hoje do estádio cheio, sem lugar para mais ninguém já às três horas da tarde para o jogo à noite. É um privilégio para mim participar desse momento 50 anos depois, já que do nosso grupo que disputou aquele jogo, somos apenas oito em vida. Quero ainda receber várias homenagens – frisou Edmilson.

Ex-secretário de Esporte e Lazer do Estado, o jornalista Leó Filho também se emocionou ao receber a homenagem acompanhado da família. Ele é considerado um dos principais incentivadores do então governador Lourival Batista para a construção da praça esportiva à época.

– Estou emocionado. Tive a honra de lutar por essa construção grandiosa e dar a primeira volta olímpica no dia da inauguração. O Batistão foi um sonho dos desportistas sergipanos que foi realizado – relembrou Leó.

A arbitragem do jogo foi liderada por Sidrack Marinho dos Santos. O primeiro árbitro a representar o Estado no quadro da FIFA, atualmente ele é o administrador do Batistão. Cleriston Clay Barreto Rios e José Crispim Neto completaram o trio masculino que apitou o primeiro tempo. Isso porque a etapa final foi comandada pelas mulheres: Thyslane de Melo Costa, Vaneide Vieira de Góis e Vanessa Azevedo.

– Eu gostaria de agradecer a lembrança ao meu nome. Foi aqui que fiz grandes jogos e me projetei para a arbitragem nacional e internacional. Hoje tenho o prazer de cuidar desse estádio – afirmou Sidrack Marinho.

Seleção Sergipana 2 x 2 Amigos de Washington

Seleção Sergipana: Rodrigues, Gabiru, Malvina, Váldson, Batista, Alex, Bibi, Chicão, Tailson, Geraldo, Fernando, Raul, Lico, Ita, Denilson, Pedro Costa e Reginaldo. Técnico: Adilson dos Santos

Amigos de Washington: Ricardo Berna, Marquinhos, Nenê, Rodrigo Costa, Daniel Paulista, Canindé, Ramalho, Jorge Wagner, Washington, Juninho Paulista, Alex, Kaká, Antônio Hora Filho, Kaelzinho e Pedro Dantas. Técnico: Luiz Carlos Bossa Nova.

Fonte: GE

Colégio Atena

Deixe seu comentário!

Para: Em dia de homenagens e jogo festivo com craques do passado, Batistão completa 50 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *