Ensino superior a distância ofertou mais vagas que o presencial em 2018, aponta Censo da Educação Superior do MEC

- Alexandre Pingo - - 19 de setembro de 2019 | - 1:33 - - Home » Educação - - Sem Comentários

número de vagas ofertadas pelo ensino superior a distância (EAD) superou em 2018, pela primeira vez, o número de oportunidades em cursos presenciais. No ano passado, foram 7.170.567 vagas remotas contra 6.358.534 vagas locais, respectivamente.

O dado é do Censo do Ensino Superior, divulgado nesta quarta-feira (19) pelo Ministério da Educação e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O resultado das vagas em EAD é reflexo direto do aumento dos cursos de graduação a distância, constatado em edições anteriores. Em 2018, por exemplo, o Censo do Ensino Superior mostrou uma alta de 17,6% no número de alunos nesta modalidade.

“É a primeira vez que você tem um maior ensino a distância do que presencial. Acho que é uma tendência nacional e mundial, só tende a se consolidar e ampliar”, declarou o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Matrículas presenciais lideram

Apesar disso, a rede presencial ainda recebeu mais alunos novos, em 2018, que a rede a distância. Segundo o censo, foram 2.072.614 matrículas em vagas presenciais (28,9% do total ofertado), e 1.373.321 nas vagas à distância (21,5% do total ofertado).

Das vagas preenchidas em todas essas redes de ensino, 58% dos alunos se inscreveram em cursos de bacharelado. Outros 21% iniciaram cursos de licenciatura (formação de professores), e os demais 21%, em cursos tecnológicos.

Ao todo, 8,4 milhões de alunos estavam matriculados em alguma modalidade de ensino superior em 2018. Desse total, 20% estudavam em instituições públicas, e o restante, na rede privada.

Alta desistência

Weintraub criticou, ao apresentar os dados, o elevado grau de desistência dos jovens que entram no ensino superior. Dados dos últimos anos apontam que, em média, só um terço dos alunos termina o curso “na época certa”, ou seja, no número de semestres previsto. Metade dos matriculados abandona a faculdade sem concluir o curso.

“Qualquer atividade econômica, e o ensino, mesmo público, é uma atividade econômica, tem que ter critérios de eficiência. A gente é muito ineficiente no Brasil, sendo que há um elevado grau também de pessoas que ficam muito mais tempo que o previsto”, declarou.

“A conclusão óbvia é que, se a gente reduzisse significativamente essa ineficiência, a gente conseguiria dobrar o número de pessoas com ensino superior completo no Brasil utilizando os mesmos recursos disponíveis. Antes de investir mais, temos que olhar para eficiência. Não adianta jogar mais dinheiro em lugar onde a gente tem tanto desperdício, público ou privado.”

Assim como nas últimas apresentações à imprensa, o ministro deixou o local do anúncio sem responder às perguntas de jornalistas. O MEC não informou como pretende atuar para reverter esse cenário.

Sem crise

Na apresentação, Weintraub também voltou a criticar o que chamou de “terrorismo da imprensa” sobre a crise financeira no ministério. Segundo ele, tanto a coleta de dados do Censo, quanto a realização das provas sob tutela do Inep (incluindo Enem e Encceja) vêm sendo concluídos sem problemas.

“A primeira conclusão que eu gostaria de chamar atenção, mais importante de todas, é que a despeito de ilações que saíram em alguns veículos sobre risco de paralisia do Inep, a gente não vê nenhum problema na prática”, disse.

Censo da Educação Superior

O Censo da Educação Superior é feito todos os anos pelo Inep para levantar dados sobre as instituições de ensino, alunos e professores dos cursos de graduação e sequências de formação específica. A ideia é fornecer informações sobre o setor e as tendências desenhadas.

Os dados abrangem também o número de vagas oferecidas, inscrições, matrículas, ingressantes e concluintes e informações sobre os professores.

Fonte: G1

Colégio Atena

Deixe seu comentário!

Para: Ensino superior a distância ofertou mais vagas que o presencial em 2018, aponta Censo da Educação Superior do MEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *