Escolas deveriam impor ‘código de vestimenta’ aos pais dos alunos?

- Alexandre Pingo - - 6 de maio de 2019 | - 11:50 - - Home » Educação - - Sem Comentários

Depois que uma escola nos Estados Unidos anunciou que os pais também teriam que seguir um código de vestimenta, começou um debate em todo o país sobre roupas e padrões para os pais.

Em Houston (Texas), a diretora da escola James Madison High School, Carlotta Brown, anunciou regras de vestimenta para pais e convidados um dia depois que a mãe de uma futura aluna teve o acesso barrado à escola devido ao traje que usava.

Joselyn Lewis usava um vestido de um modelo que parece uma grande camiseta (T-shirt dress) e um lenço na cabeça quando funcionários da escola negaram a entrada dela no prédio para matricular a filha.

Quando ela pediu para ver o código de vestimenta da escola para os pais de alunos, os funcionários chamaram a polícia.

Joselyn disse que estava com o lenço na cabeça porque ainda estava no processo de arrumar o cabelo, mas, independente disso, acredita que não deveria haver uma imposição sobre o que ela deve vestir.

‘Preparando seu filho’

Em vigor desde a semana passada, a escola rejeita a entrada de mãe, pai ou convidado vestindo pijama, calça legging ou lenço na cabeça, entre outros itens.

A escola não quis fazer comentários à BBC, mas a diretora continuou a manifestar apoio à medida.

Em um comunicado, Carlotta Brown argumentou que a escola espera que os pais estabeleçam padrões para os filhos, ao mostrar a eles o que é apropriado e o que não é.

“Pais, nós valorizamos você como um parceiro na educação do seu filho. Você é o primeiro professor do seu filho. No entanto, por favor, saibam que temos que ter padrões, acima de tudo devemos ter padrões elevados. Estamos preparando seu filho para um próspero futuro.”

Em uma reunião na segunda-feira, a diretora disse aos pais que essa também era uma política de sucesso na escola em que trabalhava antes.

‘Mensagem perigosa’

O episódio foi percebido de diferentes formas pelos pais dos alunos.

Shawn Rushing, um pai de criança da mesma área, defendeu as novas regras. “É muito mais do que um código de vestimenta. Escolas têm a função de educar as crianças, por isso temos que identificar as principais distrações.”

Por outro lado, Tomiko Miller, que é mãe de criança que estuda na mesma escola, diz que as novas regras reforçam a discriminação baseada em classe, gênero e raça.

“Eu acho que a linguagem usada é muito clara”, diz ela. “Tem como alvo as mulheres e mães.”

Miller também sugeriu que a escola forneça as roupas de formatura se as autoridades da escola considerarem que uma mãe ou pai está muito exposto porque, segundo ela, “mandar os pais embora transmite uma mensagem perigosa”.

A Federação de Professores de Houston também se manifestou.

“Embora possamos concordar que o decoro deve ser mantido nas escolas, a implementação dessa política foi falha”, diz o presidente da federação, Zeph Capo.

“É lamentável que um aluno tenha tido uma inscrição negada com base em um código de vestimenta. Educar os alunos deve ser nossa prioridade.”

Nova tendência?

O debate no Texas surgiu recentemente, mas a escola James Madison não é a única tentando criar um código de vestimenta para os pais.

Deputados em Memphis, no Tennessee, estão tentando criar uma lei que estabeleça diretrizes para o código de vestimenta dos pais. Se a lei for aprovada em julho, pode entrar em vigor no próximo ano.

O deputado estadual Antonio Parkinson disse que as políticas não seriam aplicadas de maneira discriminatória. Afirmou, ainda, que está recebendo feedback positivo dos eleitores.

No entanto, alguns moradores acreditam que a lei poderia impedir a participação dos pais nas escolas, já que alguns não se julgarão adequados para esses novos padrões.

Pais de diferentes regiões do país também começaram a compartilhar seus pensamentos nas redes sociais.

Uma mãe que vive em Indiana, que pediu para não ser identificada, disse à BBC que as políticas em Houston e Memphis eram “um alerta com o qual os membros da comunidade precisam se preocupar”.

“Sou contra essas políticas porque enviam uma mensagem de que os pais devem se identificar de uma determinada maneira e, se não o fizerem, serão condenados ao ostracismo, julgados e criminalizados”, disse.

Europa

Não é só nos EUA que esse tema tem causado polêmica.

No Reino Unido, uma controvérsia relacionada a código de vestimenta, envolvendo uma mãe em uma escola primária na cidade inglesa de Darlington, dividiu a comunidade.

Karen Routh disse que ignorou o pedido da escola para que pais e alunos não usassem pijamas porque ela estava atrasada para deixar o filho na escola.

A professora da escola disse que a atitude era um mau exemplo e Karen Routh explicou que a prioridade dela era levar o filho à escola a tempo e que ela estava atrasada porque não se sentia bem.

Em geral, códigos de vestimenta de clientes em ambientes como restaurantes ou lojas não são um conceito novo. No entanto, criar uma política para os pais – que não frequentam as escolas – é um assunto mais delicado.

À medida que a discussão avança, alguns argumentam que essa controvérsia tem implicações maiores sobre as dificuldades que diferentes famílias enfrentam em todo o mundo, enquanto outros defendem que é um padrão necessário e que beneficia a educação dos alunos.

O difícil equilíbrio deixa as comunidades divididas sobre se a política é apropriada ou se as escolas estão indo longe demais.

Fonte: G1

Colégio Atena

Deixe seu comentário!

Para: Escolas deveriam impor ‘código de vestimenta’ aos pais dos alunos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *