FETAM se solidariza com trabalhadores da saúde e repudia terceirização do SAMU e do Hospital de Glória

- Alexandre Pingo - - 21 de fevereiro de 2020 | - 8:00 - - Home » Cidades» Destaque» Nossa Senhora da Glória» Notícias - - Sem Comentários

A Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal (FETAM Sergipe) prestou sua solidariedade aos servidores da saúde de Sergipe, do SAMU e do Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória, que estão vivenciando a ameaça da terceirização dos serviços em que atuam.

A presidenta da FETAM Sergipe, Itanamara Guedes, que também é diretora de Políticas Sociais  da CUT e servidora municipal de Nossa Senhora da Glória, esteve em frente ao Palácio dos Despachos para participar de ato público em repúdio à aprovação pelo Conselho Estadual de Saúde (CES) da proposta da Secretaria de Estado da Saúde (SES) de terceirizar os serviços assistenciais do Hospital e Maternidade Regional de Nossa Senhora da Glória e do serviço pré-hospitalar do SAMU Sergipe.

“Além de lidar diretamente com o nosso bem mais precioso do ser humano, que é a vida, a saúde é uma das políticas públicas mais demandadas pela população sergipana. As cobranças constantes para melhoria do serviço, ampliação de leitos e de profissionais nas unidades e hospitais somente comprovam isso. Porém, lamentavelmente, a resposta do governador Belivaldo para as necessidades e demandas da população foi terceirizar os serviços”, lamentou Itanamara Guedes.

“O acesso à saúde pública, gratuita e de qualidade é um direito e, portanto, deve ser acessado por todos os cidadãos. Ao privatizar um serviço essencial como este, o Estado nega à população, em especial à parcela mais vulnerável, que é quem mais acessa os serviços públicos, o direito à saúde”, defendeu.

O ato foi realizado pelos sindicatos dos trabalhadores da saúde (Seese, Sindasse, Sintama, Sintrafa e Sindifarma, Sindipsi) e, além da presença da FETAM, contou com a participação da CUT e da CTB e outros movimentos sociais e entidades sindicais. Durante a atividade, os representantes dos sindicatos presentes tentaram uma audiência com o governador do Estado, Belivaldo Chagas, ou com representante do Executivo Estadual. Porém, a gestão deixou os trabalhadores esperando por mais de uma hora sem que houvesse nenhuma resposta. Diante da espera, o coletivo protocolou um pedido de audiência com o governador do Estado.

Ato em Nossa Senhora da Glória

Descontentes com a possibilidade de ter o acesso à saúde gratuita, as mulheres de Nossa Senhora da Glória, por meio do Fórum de Mulheres Glorienes, realizarão um grande ato público em defesa do Hospital Regional e do SAMU, no próximo dia 11 de março.

“O Hospital Regional de Glória atende a população do alto e do médio sertão, além de parte da população do agreste Sergipano. Trata-se de um equipamento essencial para a população”, destacou Itanamara Guedes.

Ela conta que, em agosto de 2019, o secretário de Estado da Saúde esteve no Hospital Regional para a realização de uma visita técnica, e foi recebido pelo Fórum de Mulheres Glorienses, com quem se comprometeu a qualificar o atendimento, a contratar médicos e outros profissionais da saúde, ampliando assim a oferta do serviço.

“Infelizmente, o Governo de Sergipe agiu na contramão das demandas do povo e do compromisso firmado com o Fórum de Mulheres Glorienses, e a população foi surpreendida com esta lamentável proposta de terceirização dos serviços”, avaliou Guedes.

SAMU

Outra grande perda para o povo de Sergipe é a terceirização do atendimento pre-hospitalar do SAMU. “O SAMU significou uma verdadeira transformação na forma de atender os casos de emergência e hoje se configura um serviço essencial para a população. Aracaju foi o primeiro município a implantar o serviço e por isso se tornou referência nacional. O SAMU é um patrimônio Sergipano e Nacional, não pode ser privatizado”, destacou Itanamara.

Como se deu a aprovação da terceirização

A decisão da terceirização, tomada de forma arbitrária sem ouvir as demandas dos trabalhadores e da sociedade sergipana, ocorreu durante a 233° Reunião Ordinária do Conselho Estadual de Saúde (CES), no último dia 31/01. A terceirização está contida na Programação Anual da Saúde (PAS), documento que norteia as ações a serem realizadas no Sistema Único de Saúde (SUS) em Sergipe, ao longo do ano de 2020.

Fonte: FETAM

Enium Soluções Digitais
Colégio Atena

Deixe seu comentário!

Para: FETAM se solidariza com trabalhadores da saúde e repudia terceirização do SAMU e do Hospital de Glória

Deixe uma resposta