Golpistas deixam pen drives em caixas de correio na Austrália

- Alexandre Pingo - - 22 de setembro de 2016 | - 11:22 - - Home » Tecnologia - - Sem Comentários

A polícia do estado australiano de Victoria recomendou que as pessoas não utilizem um pen drive misterioso que está sendo deixado na caixa de correio das residências da localidade de Pakenham, a 61 km da capital do estado, Melbourne.

O alerta, publicado nesta quarta-feira (21), afirma que sistemas em que o pen drive foi inserido passaram a exibir ofertas para serviços fraudulentos de streaming e “outros problemas sérios”.

“Acredita-se que os drives USB são extremamente prejudiciais e membros do público são aconselhados a evitar de conectá-los em seus computadores e outros dispositivos”, diz o alerta. A polícia está investigando o caso e pediu a colaboração de quem tiver qualquer informação sobre os dispositivos.

Não é a primeira vez que golpistas se valem de pen drives e até do correio – legítimo ou não. O vírus “Stuxnet”, que infectou usinas nucleares no Irã, chegou às instalações por meio de pen drives. Em 2011, no Brasil, golpistas deixaram cartas falsas em caixas de correio solicitando que a vítima acessasse um site para regularizar sua situação junto à Receita Federal. Na época, a Receita publicou um alerta sobre o caso.

Em 2009, a empresa de segurança MicroSolved também tentou usar o mesmo truque em um teste de invasão contra instituições financeiras nos Estados Unidos, enviando CDs infectados por correio. Funcionários das instituições, que não sabiam que se tratava de um teste solicitado pela cooperativa, publicaram um alerta nacional sobre a tentativa de ataque.

Pen drives podem ‘fritar’ o computador

Embora os pen drives nesse caso se limitem a prejudicar o software da máquina, dispositivos muito semelhantes podem conter componentes elétricos capazes de prejudiciar fisicamente um computador. Um especialista que usa o apelido “Dark Purple” criou um protótipo em 2015 que carrega capacitores internos e depois despeja a energia na porta USB. Em muitos computadores, essa ação pode acabar danificando diversos componentes internos.

Tecnicamente, o dispositivo não é um pen drive, pois não tem memória flash. Externamente, porém, não é possível perceber a diferença: o “USB assassino” é compacto e pode ter o mesmo formato de um pen drive.

Uma versão finalizada do conceito foi recentemente colocada à venda na web por 49,95 euros (cerca de R$ 180) e já teve seu estoque esgotado. O mesmo site vende um “escudo” que pode ser conectado na porta USB para impedir o dano. Um vídeo (assista) publicado pelos autores mostra um notebook morrendo instantaneamente após o “pen drive” ser conectado.

Fonte: G1

Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: Golpistas deixam pen drives em caixas de correio na Austrália

Deixe uma resposta