Judoca paralímpico do Cazaquistão treina em Aracaju antes da Rio 2016

- Alexandre Pingo - - 3 de setembro de 2016 | - 9:43 - - Home » Esporte - - Sem Comentários

“Obrigado, Aracaju!”. O agradecimento com sotaque gringo foi usando as poucas palavras que o judoca paralímpico do Cazaquistão, Anuar Sariyev, aprendeu nos quinze dias que passou na capital sergipana se preparando para a Paralimpíada do Rio de Janeiro, que começa no próximo dia 7 de setembro. Na verdade, nem mesmo inglês ele sabe falar direito. Mas isso não foi empecilho para se comunicar com os companheiros de treino. Foi um verdadeiro intercâmbio, uma troca de experiências que serviu como incentivo para buscar uma medalha inédita para o país dele nos Jogos Paralímpicos.

– Todo atleta olímpico ou paralímpico sonha ganhar medalha e fazer o melhor dele. Ganhar é um sonho, mas acima de tudo quero fazer o melhor de mim na competição. Estou muito honrado em participar da Paralimpíada aqui no Brasil. Tenho certeza de que vai ser um grande evento. Estou ansioso para poder competir e representar bem o meu país. Vou ter a oportunidade de enfrentar os melhores do mundo e quero aproveitar ao máximo essa experiência – disse Anuar Sariyev.

O paratleta Anuar Akhmetov tem 24 anos e compete na categoria baixa visão. Começou a treinar aos sete. No currículo, vários eventos internacionais, com alguns bons resultados, como a medalha de bronze nos Jogos Mundiais de Seoul-COR, que o credenciou para a Rio 2016. O desafio é continuar evoluindo e tentar pódio. Durante o período de aclimatação que passou em Aracaju,  treinou em duas academias da cidade, localizadas no conjunto Augusto Franco, zona sul. Oportunidade para trocar experiência com os judocas sergipanos.

– Vivi uma experiência muito boa em Aracaju. Foi muito boa minha estada por aqui. O povo tem uma simpatia muito grande, é muito receptivo. Gostei muito do mar, das praias. É uma cidade muito bonita. Os judocas daqui me ajudaram muito nos treinos. Agradeço muito a eles por isso.

Para quem presenciou os treinamentos do cazaquistanês, a exemplo do judoca André Santos, as aulas serviram para enxergar a realidade do outro de uma forma diferente. No início, os alunos estavam tímidos com a presença dele, mas logo, foram se acostumando.

Cazaquistão vai aos Jogos Paralímpicos do Rio com delegação de dez competidores (Foto: Reprodução/TV Sergipe)

Cazaquistão vai aos Jogos Paralímpicos do Rio com delegação de dez competidores (Foto: Reprodução/TV Sergipe)

– Eu sempre digo. Acaba a Olimpíada, saem de cena os atletas e entram os heróis paralímpicos. Foi uma experiência muito boa tê-lo aqui. Algo que só o judô pode proporcionar. Foi um exemplo para todos nós. No começo os meninos ficaram um pouco receosos, mas depois viram que ele é um atleta como qualquer um de nós, não tinha nenhuma diferença. Aí se soltaram nos treinos. Desejamos muita sorte a ele – disse o judoca sergipano André Santos, que foi um dos que ajudaram o atleta Cazaque  nos treinos em Aracaju.

Ao todo, o Cazaquistão vai desembarcar na Rio 2016 com uma delegação composta por 10 atletas da natação, judô, levantamento de peso, atletismo e tiro com arco.  Os paratletas deixaram Aracaju na tarde desta sexta-feira rumo ao Rio de Janeiro, palco dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. As disputas no judô estão marcadas para os dias 8, 9 e 10 de setembro.

Fonte: GE Sergipe 

Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: Judoca paralímpico do Cazaquistão treina em Aracaju antes da Rio 2016

Deixe uma resposta