Luizinho Lopes elogia volume de jogo mas lamenta pouca eficácia nas finalizações

- Alexandre Pingo - - 2 de julho de 2018 | - 4:13 - - Home » Esporte - - Sem Comentários

Mais uma vez o Confiança sai e campo deixando o torcedor desapontado. Olhando para a tabela, pode-se até pensar que o torcedor não tem razão de estar insatisfeito. O time está no G-4, invicto há várias rodadas, contudo, também não vence há seis partidas, e vê os principais concorrentes se aproximarem. Contra o Botafogo-PB os azulinos controlaram as ações, chegaram com certa facilidade ao gol adversário, mas na hora das conclusões faltou precisão.

Por sua vez, o Belo demonstrou um aproveitamento extraordinário. Foram poucas chances, mas vieram dois gols. No fim das contas, houve empate em 2 a 2, placar indigesto para o Dragão.

– A gente teve uma posse de bola melhor, um bom controle do jogo, mas está faltando a eficácia. Faltou eficácia em vários momentos. Não adianta você ter um baita de um volume e não ser eficaz. Por exemplo, o Botafogo teve praticamente uma bola durante o primeiro tempo e fez o gol. Aí você fala, ah, os caras jogam por uma bola. Eu chamo isso de eficácia. Você tem uma chance e guarda – comentou Luizinho Lopes.

Vendo as coisas se complicarem, Luizinho Lopes voltou para o segundo tempo arriscando tudo, colocou Tito em campo, depois Frontini e um time totalmente ofensivo. O Confiança empatou logo aos dois minutos da etapa complementar. Deixou a impressão de que a virada era questão de tempo, mas o Bota-PB fez mais um e os proletários só não foram derrotados porque Júnior Lopes marcou contra.

– Voltamos pro segundo tempo com a estratégia de colocar mais um atacante, o Tito, conseguimos na base do abafa, da pressão, o empate com dois minutos e depois criamos algumas situações. Não conseguimos vencer, infelizmente. Mas não foi por falta de ousadia ou de vontade. Chegamos a colocar três atacantes, dois jogando nas pontas e sem nenhum volante, mesmo assim não perdemos o jogo.

No segundo tempo, os proletários reclamaram bastante da arbitragem. Primeiro por causa de um pênalti não marcado em Tito. Depois em um impedimento no lance que originou o segundo gol do Belo.

– Achei a arbitragem confusa também, o árbitro conversando demais. Acho que o árbitro tem que ser pontual. Talvez estivesse em um dia ruim dele como todos têm.

O Confiança é o terceiro colocado agora no grupo A com 19 pontos, mesma pontuação do Náutico, adversário da próxima rodada, no sábado, na Arena Batistão.

– Não tem terra arrasada. Estamos invictos há nove jogos, um turno inteiro, e isso precisa ser destacado também. Não vencemos há seis partidas mas ninguém ganha da gente também. Só perdemos um jogo na competição. Somos o único time que só perdeu uma vez. Mas temos que ter a consciência de que agora precisamos dar um passo adiante e voltar a ganhar, pois a gordura acumulada já acabou. Estamos três pontos distante do quinto colocado e semana que vem enfrentamos o Náutico, confronto direto contra um time que está subindo na tabela e já nos passou. Então temos que vencer e trabalhar para isso. Manter o bom volume e agregar eficácia nas finalizações.

Fonte: GE

Colégio Atena
Enium Criação de Sites

Deixe seu comentário!

Para: Luizinho Lopes elogia volume de jogo mas lamenta pouca eficácia nas finalizações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *