Policiais civis paralisam atividades por 24 horas em Sergipe

- Alexandre Pingo - - 18 de outubro de 2019 | - 12:11 - - Home » Cidades» Nossa Senhora da Glória» Notícias - - Sem Comentários

Imagem ilustrativa

Os policiais civis de Sergipe paralisaram as atividades por 24 horas, a partir das 7h desta sexta-feira (18), quando realizaram um protesto em frente ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A categoria continua solicitando aprovação de projeto que prevê a restruturação da carreira.

Na última quarta-feira (16), após um último ato realizado na Praça Fausto Cardoso, o governo do estado emitiu nota informando que não irá enviar à Alese projetos de lei que aumentem despesas ou reestruturem carreiras até que haja clareza nas tratativas relacionadas ao pacto federativo entre União e Estados em relação ao recebimento de recursos ordinários ou extraordinários.

Serviços

Segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sinpol), serviços como registro de flagrantes, custódia de presos e guarda de materiais apreendidos permanecem assegurados com 30% do efetivo, conforme previsto em lei.

A Superintendência-Geral da Polícia Civil reforçou, em nota, o funcionamento das unidades e informou que, caso exista qualquer tipo de problema que prejudique à população, a Corregedoria da Polícia Civil será acionada para adotar as medidas necessárias.

Confira os horários:

Nas delegacias do interior do Estado, o horário de funcionamento é da 8h às 18h. Nas delegacias metropolitanas, o atendimento é feito de 7 h às 13 h. A Central de Flagrantes, em Aracaju, estará aberta 24 horas.

No interior do Estado, 11 Delegacias Plantonistas instaladas nas cidades de Propriá, Estância, Nossa Senhora da Glória, Lagarto, Itabaiana, Maruim, Carira, Tobias Barreto, Neópolis, Canindé do São Francisco e Nossa Senhora das Dores funcionarão normalmente à noite e nos finais de semana.

Com informações do G1

Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: Policiais civis paralisam atividades por 24 horas em Sergipe

Deixe uma resposta