Popular denuncia corte ilegal de árvore no principal ponto turístico de Porto da Folha

- Alexandre Pingo - - 1 de fevereiro de 2017 | - 11:08 - - Home » Cidades» Nossa Senhora da Glória» Notícias - - 2 Comentários

O Povoado Ilha do Ouro, principal ponto turístico de Porto da Folha, tem sido alvo de vários crimes ambientais. O mais recente, registrado nessa terça-feira, 31 de janeiro, deixou alguns moradores e turistas revoltados, já que uma das árvores da orlinha do povoado, que servia de refugio tanto para os turistas quanto para os moradores, foi cortada.

Em minha última visita ao povoado, me deparei com essa cena. Chocado, procurei saber o porquê de a mesma ter sido derrubada. Um morador da região me relatou, que um outro morador da localidade havia pagado para que derrubassem a árvore, pois não gostava de ver pessoas nem veículos sendo colocados debaixo das suas copas para fugir do sol escaldante. Isso é revoltante!” – disse o autor da denúncia.  

Entramos em contato com o secretário de obras e meio ambiente do município, e o mesmo nos informou que o morador responsável pela derrubada fez isso por conta própria, não pediu nenhuma autorização ou comunicou a secretaria. Fiquei sabendo por terceiros sobre esse crime. Segundo relatos, o marador fez isso por conta de o local ter se tornado ponto de encontro para pessoas com segundas intenções. 

Da Redação, Pingou Notícias

 

Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: Popular denuncia corte ilegal de árvore no principal ponto turístico de Porto da Folha

2 respostas para “Popular denuncia corte ilegal de árvore no principal ponto turístico de Porto da Folha”

  1. Cristiane disse:

    PARA O AUTOR DA PUBLICAÇÃO
    Cidadão quem plantou árvore não foi você,não foi o secretário de obras,nem a prefeitura e muito menos o morador que passou as informações sobre o motivo pelo qual a moradora cortou a árvore. Se esse morador não te informou eu informo: Quem mandou derrubar a árvore foi a mesma pessoa que plantou no caso a minha avó,pois os donos de alguns veículos colocados ali para fugir do sol escaldante abriam o porta mala dos seus veículos e aumentavam o som no volume máximo,sem falar nos motoqueiros que ficavam acelerando suas motos fazendo um barulho insuportável,incomodando os moradores da residência que fica enfrente a está bendita árvore, no caso, meus familiares e inclusive a minha pessoa,o barulho era infernal,as vezes não conseguíamos nem conversar,e se você não sabe te digo mais: NA CASA MORA MEU PRIMO QUE É ESPECIAL E UMA IDOSA QUE NO CASO É A MINHA AVÓ,E OS VIZINHOS TAMBÉM SÃO IDOSOS. Muitas vezes o meu primo acordava assustado com o barulho e ficava agitado, e quem se importa com a nossa revolta não é mesmo? Nem você e nem o morador informante moram na residência, não eram vocês que passavam por isso né verdade? Então cidadão menos viu ? Tantas coisas mais importantes do que o corte de uma pequena árvore acontecendo no povoado,muito mais revoltante. Ah! Dá licença.
    Passar bem!

  2. marcos a.a.lima disse:

    a retirada de arvore pode ser prejudicial ,em caso de chuvas com ventos fortes ,não tem uma barreira natural para diminuir a força dos ventos, protegendo as moradias; a arvore produz agua e defende o rio e solo , a família defendeu sua família com direito a retirada de vândalos a fazer barulhos em baixo da copa da arvore , esta certo e o defensor da natureza esta certo também , e preciso o poder publico municipal e justiça ,colocar em pratica a lei ambiental : grau de som , e comportamentos em harmonia com as famílias e o meio ambiente , respeitando os direitos humanos e ambiental.
    dialogar é preciso para harmonia da comunidade,
    marcos a.a.lima a retirada de arvore pode ser prejudicial ,em caso de chuvas com ventos fortes ,não tem uma barreira natural para diminuir a força dos ventos, protegendo as moradias; a arvore produz agua e defende o rio e solo , a família defendeu sua família com direito a retirada de vândalos a fazer barulhos em baixo da copa da arvore , esta certo e o defensor da natureza esta certo também , e preciso o poder publico municipal e justiça ,colocar em pratica a lei ambiental : grau de som , e comportamentos em harmonia com as famílias e o meio ambiente , respeitando os direitos humanos e ambiental.
    dialogar é preciso para harmonia da comunidade,
    marcos a.a.lima

Deixe uma resposta