Presidente interino, Ari Resende diz: ‘Time não tem dinheiro nem patrocínio’

- Alexandre Pingo - - 9 de março de 2016 | - 2:27 - - Home » Esporte - - Sem Comentários

Recentemente, o presidente do Sergipe, Silvio Santos, chegou a ser internado com problemas de saúde. O médico do dirigente então solicitou um afastamento das atividades e, como geralmente acontece no clube, quando alguém precisa se ausentar, chamam o conselheiro e atual vice-presidente executivo Ari Resende para assumir o comando. Ari informou ainda que Silvio já saiu do hospital e segue em tratamento em casa.

– Ainda vou tomar conhecimento de toda a situação financeira, eu não estava lá, não andava no dia a dia, Silvio é quem tomava conta. Daqui a 24 dias ele está de volta. Uma coisa eu sei, o time não tem dinheiro, nem patrocínio. Sei que as pessoas se esforçam para fazer até o que não podem, pelo bem do Sergipe, mas é complicado. E também não podemos passar uma imagem falsa para o torcedor, temos que ser abertos, verdadeiros e retratar a realidade do clube. Até porque se acharem que está tudo bem e não vencermos os jogos e formos campeões, vão cobrar. Por isso, eles precisam ter consciência da situação que vive o Sergipe. Hoje, no estado, temos só o Confiança bem estruturado, além do Itabaiana que está se organizando. O Sergipe é um time sofrido, as condições não estão suficientes, está tudo bem diferente do que já foi um dia. Já perdi as contas das vezes em que tive que assumir o clube e geralmente é por algum problema ou afastamento. Vou fazer um apanhado do que temos e precisamos e até sexta terei um raio-x completo de como está o clube – explicou Ari Resende.

Desde que Motinha saiu nenhum presidente se firmou na cadeira, isso foi até conhecido como “A maldição de Motinha”. Neste período foram quatro eleitos (Carlos Alberto, Genisson Silva, Reinaldo Moura e o atual Silvio Santos). Com exceção de Silvio, que está afastado por problemas de saúde, os outros três tomaram posse com promessas de renovação e modernização e renunciaram pelo mesmo motivo: “Isolamento político dentro do clube”. Questionado sobre isso, Ari opinou sobre o assunto.

– Isso tem acontecido porque é muito grande a estrutura e nem todo mundo conhece as dificuldades que vai encontrar quando chegar. E gerenciar as dificuldades é algo complicado, tem que ter uma paixão muito maior que qualquer coisa, que era o que Motinha fazia. O clube deve muito a ele, mas apesar de tudo o que ele fez, todo mundo lembra como ele saiu do Sergipe – comentou o presidente interino do Sergipe.

Desempenho da equipe no estadual
Na manhã desta quarta-feira Ari Resende falou em entrevista à Rádio Liberdade AM sobre o que tem achado das atuações do elenco rubro no Campeonato Sergipano.

– O Sergipe tem uma marca, uma camisa muito grande, o que gera uma grande expectativa. O Sergipe tem uma meta que é buscar um calendário maior, até para sobrevivência do clube. Conseguimos a classificação para o hexagonal, embora eu esperava que tivesse uma classificação melhor entre os seis. Passada essa fase, acredito que a comissão técnica já avaliou os problemas e necessidades. Esperamos um rendimento melhor no hexagonal – ressaltou Ari Resende.

Fonte: Globo Esporte Sergipe 

Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: Presidente interino, Ari Resende diz: ‘Time não tem dinheiro nem patrocínio’

Deixe uma resposta