Unicamp 2019: Comvest estuda prova em Salvador, aumento em taxa e define cidades para vestibular indígena

- Alexandre Pingo - - 4 de maio de 2018 | - 11:16 - - Home » Educação - - Sem Comentários

A Unicamp estuda aplicar a prova do vestibular 2019 em Salvador (BA) e elevar o valor da taxa de inscrição em até R$ 5, segundo a comissão organizadora do exame (Comvest). Além disso, foram definidas cinco cidades para realização do primeiro vestibular indígena, uma das inovações que serão implementadas nesta edição com objetivo de aumentar a inclusão social na universidade.

O coordenador executivo da Comvest, José Alves de Freitas Neto, explica que a capital baiana deve ser a única novidade na lista que já conta com quatro metrópoles – Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Fortaleza (CE) e São Paulo (SP) – além de 30 municípios paulistas. De acordo com ele, são considerados no estudo a dimensão populacional e a procura dos candidatos pela Unicamp.

“É a maior capital do nordeste. O objetivo é buscar um público que valoriza a universidade na sua escolha”, destaca Freitas Neto. Na edição 2018, a instituição registrou alta de 61,4% na quantidade de calouros residentes fora de São Paulo, e a Bahia foi o segundo estado com mais representantes.

A decisão, conta, sairá em 10 de maio, quando haverá uma reunião entre coordenadores e integrantes do corpo técnico da Comvest. Ele lembra que a inclusão da capital cearense na edição anterior também foi estratégica e ocorreu após observação sobre os desempenhos de candidatos em provas do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e do Instituto Militar de Engenharia (IME).

As inscrições para o vestibular 2019 devem ser feitas de 1º a 31 de agosto deste ano, por meio de formulário online. A primeira fase será em 18 de novembro, e a segunda entre 13 e 15 de janeiro.

 

Vestibular indígena e nova taxa

Freitas Neto explica que apenas Salvador deve ser incluída na lista de municípios onde serão aplicados o processo, em virtude da alta de custos provocada pelo vestibular indígena.

Neste caso, a inscrição será gratuita e estão previstos pelo menos 800 candidatos nas provas a serem realizadas em Campinas, Manaus (AM), São Gabriel da Cachoeira (AM), Recife (PE) e Dourados (MS). Ele destaca que há parceria com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

“Desde o ano passado, quando houve aprovação do vestibular, foi mencionado que nós iríamos realizar a prova em Campinas e no mínimo mais duas capitais […] Mas aí na parceria, ao fazer um levantamento de onde estão os estudantes indígenas, nós consideramos prioritário, consideramos abrir para mais cidades […] A experiência da UFSCar no ano passado foram de aproximadamente 750 inscritos, por isso estamos projetando que haja um pouco mais de inscritos”, ressalta.

Sobre a taxa do vestibular, até então fixada em R$ 165, ele prevê alta de até 3% para cobrir custeios com a implementação do vestibular indígena, e por causa da inflação acumulada no período. “É provável que haja uma pequena elevação de no máximo R$ 5”, admite o coordenador. O valor final, segundo ele, também será definido na reunião marcada para a próxima semana, na Unicamp.

Formato mantido

Os modelos das provas no vestibular 2019 serão iguais ao da edição anterior.

A 1ª fase será composta por 90 questões de múltipla escolha nas disciplinas de língua portuguesa e literaturas de língua portuguesa, matemática, história, geografia (inclui filosofia e sociologia), física, química, biologia, inglês, além de interdisciplinares. O tempo será de até cinco horas.

As provas da segunda fase serão em janeiro e cada uma terá duração máxima de quatro horas:

  • 13/01 – Redação e prova de língua portuguesa e literaturas de língua portuguesa
  • 14/01 – Matemática, geografia e história
  • 15/01 – Física, ciências biológicas e prova de química
 

De acordo com a Comvest, as avaliações de habilidades específicas serão entre 21 e 25 de janeiro, com exceção aos cursos de música: neste caso, elas são divididas em duas etapas – a primeira, de 10 a 17 de setembro deste ano; e a segunda entre os dias 14 e 15 de outubro.

Ao todo, serão oferecidas 3,3 mil vagas em 70 cursos de graduação, distribuídas nos campi de Campinas, Piracicaba e Limeira. O valor da taxa será divulgado em edital, no dia 7 de junho.

Calendário

Nesta edição, a instituição implementará pela primeira vez cotas étnico-raciais e outras mudanças que visam elevar a inclusão social, entre elas, vagas pelo Enem, criação de um vestibular indígena e de vagas extras para destaques em olimpíadas que tenham abrangência nacional. Confira detalhes.

Edital Enem

  • Inscrições: 15/10 a 14/11/2018

Seleção a partir de desempenho em olimpíadas científicas

  • Inscrições: 21/11/2018 a 10/1/2019

Vestibular Indígena

  • Inscrições: 15/8 a 14/9/2018
  • Prova: 2/12/2018

Isenção

O prazo para pedidos de isenção na taxa de inscrição do vestibular está aberto até 21 de maio. Eles também devem ser feitos pela página da Comvest, e a universidade também exige envio de documentos previstos em edital. Ao todo, três modalidades serão contempladas para concessão:

  1. Candidatos provenientes de famílias de baixa renda (até um salário mínimo e meio bruto mensal por morador do domicílio);
  2. Funcionários da Unicamp/Funcamp;
  3. Candidatos aos cursos de licenciatura em período noturno (ciências biológicas, física, letras, licenciatura integrada química/física, matemática e pedagogia).

Entre os pré-requisitos estabelecidos pela Unicamp estão:

  • Ter cursado o ensino médio integralmente em instituições da rede pública (1 e 2);
  • Ser residente e domiciliado no estado de São Paulo e já ter concluído/concluir em 2018 o ensino médio.

De acordo com a Comvest, serão oferecidas 6,6 mil isenções na primeira modalidade; 100 na segunda e número ilimitado na terceira. A lista de contemplados será divulgada em 23 de julho.

Contemplados

Quem for beneficiado, segundo a Unicamp, receberá um comunicado a partir de 23 de julho, exclusivamente via correio eletrônico. A universidade ressalta que a isenção não representa inscrição automática no vestibular 2019 – a ser feita posteriormente com uso de um código.

Fonte: G1
Colégio Atena
Enium Criação de Sites

Deixe seu comentário!

Para: Unicamp 2019: Comvest estuda prova em Salvador, aumento em taxa e define cidades para vestibular indígena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *