Unicamp segue UnB e planeja ‘disciplina do golpe’ para discutir impeachment de Dilma em 2016

- Alexandre Pingo - - 27 de fevereiro de 2018 | - 10:18 - - Home » Educação - - Sem Comentários

O Departamento de Ciência Política da Unicamp planeja implantar, neste primeiro semestre, uma disciplina no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) para discutir o impeachment da ex-presidente Dilma Rouseff (PT), em 2016. A proposta é semelhante a adotada pela Universidade de Brasília (UnB), mas ainda não foi definido se a “disciplina do golpe”, como foi chamada pela instituição federal, fará parte da grade oficial ou será oferecida como livre, aberta ao público.

“O conteúdo vai ser um pouco distinto, tratando daquele contexto de 2016, tratando das políticas publicas e ações do atual governo [Michel Temer]”, destaca Wagner Romão, chefe do Departamento de Política da Unicamp.

O curso na UnB recebeu o nome de “O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”, e terá o mesmo foco na estadual de Campinas, apesar de discutir também as ações do governo federal, inclusive no tocante à segurança pública e as eleições gerais.

 

Segundo Romão, a proposta tem apoio de ao menos 20 docentes e nasceu em solidariedade ao professor Luis Felipe Miguel, que ministrará o curso na UnB.

A nova disciplina também é um reflexo das críticas publicadas, na semana passada, pelo ministro da Educação. Em sua conta no Twitter, Mendonça Filho criticou a proposta da universidade federal.

Lamento que uma instituição respeitada e importante como a Universidade de Brasília faça uso do espaço público para promoção de militância político-partidária ao criar a disciplina ‘O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil‘”, disse Mendonça Filho.

Nesta segunda (26), a Comissão de Ética Pública da Presidência informou que o ministro terá dez dias para prestar esclarecimentos em processo que apura se ele cometeu abuso de autoridade no exercício do poder ao se manifestar contra o docente da UnB.

G1 entrou em contato com o Ministério da Educação e Cultura para falar da iniciativa da Unicamp, mas o órgão informou que não vai comentar o caso. Já a Reitoria da Unicamp destacou que o IFCH é livre para escolher o conteúdo dado aos alunos.

Ementa da disciplina 'o golpe de 2016', do curso de ciência política da UnB (Foto: Reprodução)

Ementa da disciplina ‘o golpe de 2016’, do curso de ciência política da UnB (Foto: Reprodução)

Fonte: G1

Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!

Para: Unicamp segue UnB e planeja ‘disciplina do golpe’ para discutir impeachment de Dilma em 2016

Deixe uma resposta